O AEROPORTO DE JACAREPAGUÁ FICA NA BARRA DA TIJUCA

A pista foi construída pela companhia francesa Aeropostale (hoje, Air France), no começo dos anos 1930, para ser o campo de pouso auxiliar da Base de Campos dos Afonsos, onde era a sede brasileira da Aeropostale, e para facilitar pousos e decolagens, devido às más condições do tempo, que dificultavam a travessia dos aviões que vinham do mar em direção à serra de Jacarepaguá.
 

Inicialmente, a pista só recebia aviões da companhia Aeropostale, porém, em 1944, com a Segunda Guerra Mundial, o local do Campo Air France passou para a jurisdição do Ministério da Aeronáutica. Durante muitos anos, a área foi utilizada pela Força Aérea Brasileira, para treinamento de cadetes e de oficiais aviadores.
 

Em 1966, um decreto definiu o Campo de Pouso de Jacarepaguá como Aeródromo para Aviação Civil de Pequeno Porte e serviços correlatos. Em 1969, o aeroporto, finalmente, começaria a ser construído, e em 19 de janeiro de 1971 o Ministério da Aeronáutica autorizou, oficialmente, o início das operações no Aeroporto de Jacarepaguá. Três anos depois seria inaugurado o Aeroporto do Galeão.

Por interesses do mercado imobiliário, a Barra da Tijuca foi empurrando para cima (Norte) o bairro de Jacarepaguá, e para o lado (Oeste), o Recreio dos Bandeirantes. Na época em que a Barra era deserta, dizia-se que o limite com o Recreio e Jacarepaguá era o cruzamento da avenida Ayrton Senna (Via 11) com a avenida das Américas (trecho da estrada Rio-Santos). 

Para o Norte, era Jacarepaguá (como exemplos o aeroporto e Autódromo de Jacarepaguá, e o local do Condomínio Rio 2, que era Curicica, subrregião de Jacarepaguá), e para Oeste, era o Recreio. Na praia, o cruzamento da mesma Ayrton Senna com a avenida Sernambetiba, local do condomínio Alfa Barra, era o limite com o Recreio.

Esqueça essa geografia, são outros tempos.

Sobre o Autor

Mário Márcio Leal

Sou patologista humano, mas no momento estou interessado na patologia do ser urbano e sua principal doença - O ENGARRAFAMENTO.

Deixe um comentário